‘Túmulo do Soldado Desconhecido’: conheça conhecer a história dos 4 mais famosos-Mega Curioso

Há algumas semanas o presidente Jair Bolsonaro fez uma viagem à Rússia, onde participou de uma cerimônia no Tomb do Soldado Desconhecido, situado junto ao Muro do Kremlin, em Moscou. O monumento visa prestar homenagem a um soldado comunista escratado na Segunda Guerra Mundial.

No entanto, a Rússia não é o único país cujos soldados mortos durante a guerra que não foram identificados receberam uma cripta simbólica. Vários países, incluindo o Brasil, têm monumentos semelhantes! Conheça a história de alguns deles logo abaixo!

1. Estados Unidos

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

É no Cemitério Nacional de Arlington, na Virgínia, que é o memorial aos soldados mortos não marcados-da Primeira Guerra Mundial. Os restos mortais foram simbolicamente enterrados no sarcófago, onde servem como lembretes dos sacrifícios feitos pelos incontáveis soldados que não podiam ser enterrados em casa. Em uma das extremadas do monumento há os speeders: “Aqui se ressente em honra honrado um soldado americano conhecido apenas por Deus.”

2. Itália

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

O Tomb do Soldado Desconhecido da Itália está situado na Praça de Venezia, em Roma. A mãe do soldado italiano Antonio Bergamas, que nunca pode enterrar o filho, teve a triste missão de escolher um dos 11 caixões com soldados desmatados expostos na Basílica de Aquileia, cujos corpos foram recuperados na Primeira Guerra Mundial. Registros dizem que ela caiu em prantos ante um dos caixões gritando o nome do filho. Esse foi o escolhido para o memorial.

3. França

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

É na base do Arco do Triunfo, um dos pontos turísticos mais famosos da França, que é o monumento Tomb do Soldado Desconhecido, em Paris. É comum que veteranos façam homenagens por lá. A ideia começou em 1916, mas ela foi adotada oficialmente em 1919, um ano após o fim da Primeira Guerra Mundial.

4. Brasil

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Popularmente chamado de Monumento aos Pracinhas, o Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial está localizado no parque Eduardo Gomes, no Rio de Janeiro. Lá, há uma urna em sua base com restos de soldados que não foram identificados.

Por falar nisso, em Pistóia, na Itália, há um cemitério brasileiro onde 428 soldados estão enterrados. Há também um jazigo em recordação do soldado desconhecido.

Qual é a história por trás da Tomb do Soldado Desconhecido?

A maioria dos países que hoje possui um Tomb do Soldado Desconhecido adotou a ideia após a Primeira Guerra Mundial. Nessa época, os países em conflito tiveram que avaliar se valeu a pena levar os soldados mortos para o exterior para a terra natal. 

Além disso, ninguém sabia exatamente como seria possível gerenciar a questão. Foi então que a França e o Reino Unido decidiram não trazer seus mortos. Em vez disso, ambos os países optaram por escolher um soldado não marcado e enterrá-lo como uma homenagem e representação dos milhares que perderam a vida. Outras nações seguiram de terno.

A partir da Segunda Guerra Mundial o conceito foi ampliado. Atualmente, dezenas de nações possuem monumentos com este propósito, como Grécia, Israel, Japão, Gâmbia, Finlândia, Índia e Indonésia.